exceções

aqui eu falo sobre coisas superficiais. nunca indo a fundo no meu dia, ou no meu humor.
não gosto de falar de mim, propriamente. falo sobre coisas. não faço o que a graaaande maioria faz nos seus blogs, que é reclamar da vida, ou fazer declarações de amor - aliás, marilin eu te amo tanto - (é, foi uma exceção) ou tentar escrever coisas bonitas, super clichês, que todo mundo tá cansado de saber.
bom, não acho legal essa exposição de tipo, dizer como foi o dia, contar em detalhes o que aconteceu, o que sentiu, essas coisas. acho fanfarronice.
tenho minha opinião, e lógico, você sempre vai me ver expondo-a, seja lá como for.
eu apenas relato acontecimentos, explico, tiro dúvidas minhas, comigo mesmo.
legal contar casos, mas não casos banais. tipo, chegar e escrever: " hoje, eu fui ao açougue, pedi quatro quilos de contra-filé em bife, e o cara moeu. O CARA MOEU TUDINHO, acreditam?... "
acho que de coisas idiotas o mundo tá cheio.
isso tudo não quer dizer que eu nunca tenha escrito coisa do tipo.
mas são coisas inofensivas, sem propósito nenhum. não quero dar lição de moral, ensinar, explicar. quero escrever. e ler. releio muitas vezes tudo o que eu escrevo. posso dizer que eu sou o meu leitor mais assíduo.
isso é bom.
legal você saber o que você acha das coisas. qual a sua opinião sobre.
não, porque quando tá escrito, fica tudo mais concreto, coeso. escrever é uma forma de afirmar e reafirmar a sua opinião. se você tem uma opinião sobre algo, depois de escrever tudo o que você acha, ou você apaga a porra toda, ou você leva essa opinião pro resto dos seus dias.

gosto de inventar coisas, escrever sobre mim, não falar de mim. há uma diferença aí.
escrever sobre, fica bem mais abrangente. eu posso escrever o que eu acho sobre algo, sem falar de mim. posso inventar coisas pra tentar passar uma imagem de intelectual, ou de descolado. cool, eu diria. mas não. prefiro as coisas como elas realmente são, assim como eu. em carne-e-osso-e-alma.
e sim, eu sou a minha livre e espontânea vontade. e liberdade de expressão é a minha bandeira.
não tenho quilômetros rodados suficientes pra fazer as regras, ou te dizer o que fazer. e nem tento. se você, por um acaso, se dói quando lê e pensa: " porra, esse cara vive tentando me dizer o que fazer da vida..." eu tenho uma novidade pra você. você está redondamente enganado.
tudo o que eu quero é escutar a minha música predileta, e chocolate.
é, eu não sou muito diferente de você nesse aspecto.
sinto raiva, amo, sinto frio e calor, morro de sono e de cansaço.

também não tô aqui pra condenar quem faz aquilo tudo.
acabei de escrever linhas sobre mim. seria muito presunçoso da minha parte, xingar quem dá importância e posta que foi no cabelereiro mudar a cor dos fios dos cabelos.

tudo é válido. absolutamente TUDO.

pense nisso.
 

© Copyright O Céu. . All Rights Reserved.

Designed by TemplateWorld and sponsored by SmashingMagazine

Blogger Template created by Deluxe Templates