viva la vida.

ando muito pelo mundo, mas sem sair de casa. sem sair do quarto, na verdade. ando, imagino, especulo, aprendo, descubro, visito. penso. meu imaginário vai além das barreiras do permitido, corre por entre as árvores, passeia em descampados, formula as mais mirabolantes histórias, caminha, voa, delira.
já acabei com o mundo, já criei um mundo novo, já me fiz e desfiz, já criei novas teorias, já descartei algumas delas também, e isso é importante. ´
já pintei de azul e apaguei pra pintar de verde no nanossegundo seguinte.
você, na intimidade da sua mente, pode fazer isso.
já criei melodias. já me coloquei num ambiente utópico.
já beijei pessoas, criei cores, nomes e fantasias.
já tive viagens que não tem explicação. já fui muuuito longe pra no instante seguinte, acordar pra realidade e me enxergar na santidade da minha residência.
já fui astronauta, já cantei pra platéias do mundo, já salvei vidas.
já fui pai, já usei todo tipo de droga que se possa imaginar, já bebi toda a água do mundo.

já morri de amores, já bati de carro, já fiquei milionário.

tudo o que puder imaginar, seja o que quiser. permita-se ser o que preferir.
imagine-se, veja-se como outra pessoa, experimente, arrisque.

depois tente pelo menos uma vez fazer ou ser, o que ou quem, você quis.
se foi tão fácil na imaginação, por que não aqui?

mais tarde

pode ser até do corpo se entregar
mais tarde

parece simples mas
a gente às vezes é
e o amor é lindo deixo
tudo que quiser eu não me queixo em ser

aiaiaaaai...

acho normal ver o mundo feito faz o mar
num grão de areia

é de se entregar a sorte
e todo mundo vai saber

em ver que o vai e vem pode ser eterno
pra ver quem manda
acho que não vai dar
tô cansado demais
vou ver a vida a pé

aiaiaaaai...

acho normal, tá no mundo feito faz o mar
num grão de areia

-

poesia de marcelo camelo.
parabéns cara, você foi contemplado.

linha do equador.

10 de novembro de 2008.
exatamente amanhã, faço vinte, completinhos.

só uma observação mesmo.
-

em mais um dia de trabalho, me senta um 'señor' na minha frente.
aí, o coroa veio me contar um lance que tinha acontecido com ele e com o filho dele.

ele tem o hábito de pescar. costuma ir com o filho, e tal.
nesse dia, eles tavam saindo de casa, aí o coroa disse:

- "filho, quando chegar lá, a gente sai logo da costa, vai pra alto-mar, dorme e, de manhã, pesca."
- "beleza, pai."

chegaram lá e fizeram o combinado.

[...]

aí no caminho, saindo da costa, (já tinham até perdido a costa de vista) o barco parou.
tum.
parou geral.

e não andava por naaada.
ligavam e desligavam o motor, e nada.
o pai resolveu pegar o remo e remar. começaram a remar. os dois.

e nada.

aí o coroa me contando o final da historinha:

- "porra, fui olhar embaixo do barco pra ver o que era... A GENTE TAVA PRESO NA LINHA DO EQUADOR, CARALHO! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!"

haha.
fiquei quase meia hora escutando o coroa falar.
o final da porra da história era esse.

olhei bem pros cornos do velho...
brother, palavra, quase soquei.

hoje em dia é engraçado lembrar.

INTRADIAGNÓSTICO.

basta um dia pra se mudar de idéia.
um dia, aliás, é muito.
uma hora.
meia hora.
dez.
um minuto.

ainda que relutantemente, eu, queira ignorar a idéia de raul seixas, NÓS somos metamorfoses ambulantes.
ainda que nós tomemos decisões momentâneas, o erro pode ser consertado.

- rápido! -

é preciso que se corra. corramos, pois, contra o relógio então.
corramos para o nosso objetivo.
ainda que atinemos para coisas tão óbvias nos momentos mais impróprios possíveis, podemos recuperar.
apesar de que nem sempre se pode recuperar.
mas eu, eu tento.
eu vou tentar.

basta uma conversa pra se mudar de idéia.
uma conversa, aliás, é muito.
uma idéia.
um apelo.
duas.
uma frase.

escuta-me com atenção, não vou deixar mais nem um minuto passar em vão.

vivamos, amigos, com a intensidade de uma criança que aproveita cada cabelésimo de centésimo. vivamos, senhores, com o vigor de um ancião que ainda encontra forças pra lutar.

vivamos, todos, com a certeza de que o melhor acontecerá.

de hoje em diante, para todo o sempre.
e que assim seja.

- boa noite.

teoria da verdade.

teoria da verdade.
a teoria da verdade, na verdade, não é uma teoria.
é uma espécie de fato oculto. como assim? é.
a teoria da verdade, consiste em todas as coisas que ficam ocultas dentro de um acontecimento. exemplificando fica mais fácil.
no caso isabela, por exemplo.
alguém arrisca dizer exatamente o que aconteceu naquela noite? alguém sabe, por um acaso, perfeitamente o que aconteceu? sim. alguém sabe. exatamente as pessoas que estavam lá.
ou seja, esse foi um caso que abalou o brasil inteiro, todo mundo quis saber o que aconteceu dentro daquele apartamento, porém, só quem sabe são aqueles dois lá. nós concluímos alguma coisa. mas a verdade verdadeira, tá com eles, e se eles não quiserem falar, ninguém tasca.
básicamente é isso.
lembrando que teoria é só o nome. de teoria não tem nada.
agora, essas verdades, que acabam virando mistérios, será que algum dia a gente vai ficar sabendo? não só desses casos, mas dos nossos casos. coisa mais íntima. você nunca quis saber o que A falou de você pra B, mas B nunca quis te contar?
você nunca quis saber, o que aconteceu aquela noite, dentro daquele quarto, com aquelas pessoas?
talvez eu esteja tentando entender a vida, - coisa quase que impossível, diga-se de passagem - mas, pensa comigo, e se um dia você soubesse essas coisas? será que você seria quem você é hoje? o quanto isso influenciaria na sua vida, até na sua personalidade mesmo? se você soubesse de algumas coisas de ontem, em quem você confiaria hoje?

ah, sei lá.

nada não, pode ir.

hoje é um daqueles dias que a gente pensa, pensa, pensa, peeeensa, e não sai absolutamente na-da.


nesses dias é melhor ficar de boca fechada, pra não entrar mosca.
 

© Copyright O Céu. . All Rights Reserved.

Designed by TemplateWorld and sponsored by SmashingMagazine

Blogger Template created by Deluxe Templates